LAFUC © 2016. Criado com Wix.com

Próxima página >>

Scinax similis (Cochran, 1952)

Nome popular : Perereca.

Biologia: Espécie de Scinax de médio porte, pertencente ao grupo ruber, muito semelhante a S. fucovarius (Faivovich et al, 2005). Espécie polimórfica, com indivíduos variando na coloração dorsal de marrom-claro, a indivíduos verdes-olivas, a totalmente escuros, cobertos por pontos claros. Pode apresentar manchas alongadas de cor marrom-escura na região dorsolateral. Região dorsal dos membros apresentando padrão de manchas, não transversais. Ventre branco ao creme. Focinho curto e arredondando em vista de cima e de lado. Tímpano desenvolvido, sendo aproximadamente 2/3 do tamanho do olho. Discos dilatados bem desenvolvidos nas mão e artelhos. Membrana interdigital vestigial nas mãos e presente nos artelhos. Pele dorsal lisa e ventral granulosa. (Cochran, 1952, Maffei et al, 2011).  

Habitat e Ecologia: Espécie arborícola de hábitos noturnos e associada as áreas abertas. Utiliza poços permanentes ou temporários e vegetação marginal, gramíneas e arbustos. É comumente encontrada próximo as cidades e em áreas rurais utilizando abrigos artificiais. Já foi observada reproduzindo em açudes e áreas antropizadas (Maffei et al, 2011; Haddad et al, 2013).

Paulo, Rio de Janeiro e Espirito Santo (Cochran, 1952; Maffei et al, 2011; Haddad et al, 2013; Frost 2014). Mais além, foi registrada para o estado da Bahia e Goiás (Silva e Silva, 2005; Cintra et al, 2009; Forst, 2014). Nos Estado do Goiás, já foi registrada nos municípios de Quirinópolis e Mambaí-Buritinópolis (Silva et al, 2005; Cintra et al, 2009).

Ameaças: Espécie não ameaçada.

Fase larval: Comprimento total 28,47 ± 1,63 milímetros. Corpo comprimido, oval em vista dorsal e triangular em vista lateral. Focinho arredondado em vista dorsal e inclinado em vista lateral. Olhos grandes, lateralmente dirigidos. Espiráculo esquerdo, longo e estreito, abertura no terço posterior do corpo, póstero dirigido, parede centrípeta fundida com a parede do corpo e mais longa do que a parede externa. Fórmula oral de (2) / 3 (1); A-1 e A-2 do mesmo comprimento, P-3 ligeiramente mais curto do que o P-2. Bainhas da mandíbula largas, com serrilhado triangular; bainha maxilar superior em forma de "M"  e inferior em forma de "V",  mandíbulas superior e inferior de mesma largura. Coloração em vida marrom claro, músculo cauda com listras escuras nadadeiras levemente pigmentadas e marginalmente manchadas.

 

 

Distribuição: Espécie ocorre no Brasil e Paraguai (Conchran, 1952; Brusquetti e Lavilla, 2006; Frost, 2014). Amplamente distribuída na região sudeste, nos Estados de Minas Gerais, São

Figura 1: Distribuição da espécie no Distrito Federal.

Scinax similis - Fábio Maffei
00:00 / 00:00